domingo, 1 de abril de 2018

M de... maternidade? mudança?

dizem que a maternidade muda as pessoas.

não duvido disso. tenho uma amiga cuja principal característica durante anos foi a total atenção. era incrível sair com ela, pois eu tinha a sensação de que nada, absolutamente nada naqueles encontros era mais importante do que eu. ela tinha uma capacidade (que eu venerava) de se fechar em nossas conversas sem se importar com nada do que acontecesse ao nosso redor. às vezes, eu tinha a impressão de que se houvesse um ataque alienígena enquanto nossos jantares ocorriam, seríamos as últimas a ficar sabendo. mas como vocês bem devem ter percebido, estou escrevendo tudo isso no passado, pois há cinco anos sua pequena chegou e nossos encontros nunca mais foram os mesmos. 

minha amiga tornou-se a pessoa mais desatenta do mundo. somos interrompidas quatrocentas e trinta e sete vezes pela pequena em cafés da tarde que duram não mais que duas horas e quando conseguimos a proeza de almoçarmos sozinhas, o celular ganha metade da atenção que eu costumava ter só pra mim. não estou julgando minha amiga, ainda que isso me irrite e eu acredite que ali faltam algumas barreiras da educação, mas constatando que a maternidade transforma as coisas. e que eu acho que já está me transformando.

eu sempre fui uma mulher chegada na insegurança. não que eu não confiasse em mim na maior parte do tempo ou tivesse crises existenciais a cada sete dias, mas acho que sempre estaquei em momentos chave da vida, ao tomar grandes decisões, ao encarar grandes mudanças. mas a maternidade, além de ser um céu de felicidade, é também um poço de inseguranças. nas últimas 24 semanas eu descobri um medo que não pensava existir. medo de perder minha bebê, medo de comer demais (ou de menos!), medo de esquecer o remédio, medo da ultrassom, medo de não conseguir fazer tudo a tempo, medo de não conseguir conciliar trabalho e maternidade, medo de namorar, medo de não namorar mais, medo do parto, medo de não ser boa mãe - e levei cerca de um minuto e meio para pensar e dividir estes medos, o que significa que tenho tantos outros mais. 

já sinto a maternidade me mudar de uma forma tão incrível, que... adivinhem! me assusto! fico aqui imaginando que tipo de mãe serei, como ficará meu casamento depois da chegada da minha pequena e especialmente em como farei para que ela seja feliz em um mundo tão louco e cheio de perigos. 

dizem que a maternidade caminha de mãos dadas com a loucura. 
será?

Nenhum comentário: