quarta-feira, 15 de outubro de 2014

eu fico com a pureza da resposta das crianças

existem muitas maravilhas em ser professora.

a maior delas é poder estar em contato com o ser humano quase cru. e quando digo cru, não imagino uma página em branco, mas sim uma pessoa concreta que ainda não foi brutalmente alterada pelo mundo louco ao seu redor. ou que pelo menos ainda não tem consciência disso. acontecem tantas coisas lindas em sala de aula que eu acho que deveria fazer um blog só para relatar situações. mas enquanto isso não acontece, deixo aqui um pedacinho de magia real. 

"tenho uma turma de alunos com cerca de 5 anos de idade. não é nem de longe a minha favorita, porque -deixa eu te contar um segredo - não acredito muito em inglês nessa idade como curso extra e me dá uma dó daquelas crianças que poderiam estar fazendo qualquer outra coisa que não sentadas mais uma hora em sala de aula. mas os pais não pensam assim. enfim, dentre estes meus alunos que são fofos de morrer (ainda não decidi se quero uma filha Lívia, Luísa ou Laura, porque cada uma delas me contagiou de um jeito que não consigo me conter) tenho um que tem duas mães. 

isso mesmo, as mães são lésbicas. uma delas é musa do verão, cabelo loiro tingido perfeitamente, olhos verdes, corpo escultural. passaria fácil como modelo internacional. já a outra faz mais o estilo thammy gretchen, cabelos pretos estilo joãozinho, bermudão e muitas tatuagens. é a mais presente e um ser humano incrível. já reparei há um certo tempo que o filho delas chama a "menininha" de mãe, e a "homenzinho" de pai. acho incrível. 

no fatídico dia, meu aluno que aqui vou chamar de Lulu (entrando na onda do L), esqueceu a lancheira. a mãe bonitona de cabelo loiro comprido, voltou pra entregar enquanto a outra esperava afastada. beijinhos e lancheira entregues, uma outra aluna, muito esperta e sem deixar de pintar - o tema eram os cômodos da casa - perguntou, sem tirar os olhos do papel. 

_ ô Lulu, sempre quis te perguntar isso. aquela ali é sua mãe ou seu pai?
_ minha mãe! - ele respondeu, também com os olhos no desenho.
_ humm.. - a pequena continuou, desconfiada - e a outra?
_ ah... - ele coçou a cabeça e analisou o desenho. nesse momento o restante dos alunos também parou. pude ver que a curiosidade da pequena era na verdade, a do grupo inteiro - é meu pai. - e antes de encerrar o assunto acrescentou - e minha mãe também. 

a pequena jornalista permaneceu concentrada em seu desenho. e então, quando achei que a conversa já tinha acabado, retomou. olhando diretamente pare ele. 

_ Lulu, então você tem duas mães?
_ isso! - ele respondeu prontamente. também parou e olhou para ela. - e é como se as duas fossem meus pais também! 

 a sala ainda continuava concentrada na conversa, só um ou outro distraídos com qualquer outra coisa. e então, minha pequena ilustre menina me deu esse presente precioso:

_ ah, tá, claro. que legal! 

a turma toda concordou com a cabeça e ainda ouvi a moreninha falante do outro lado pedindo um lápis emprestado para o tal Lulu. eles continuaram seus desenhos, pediram mais jogos e disseram que estavam cansados. como se tudo aquilo fosse normal.eles são todos crus. eles acham tudo normal. "claro!", ainda ouço aquela vozinha dizer, os olhos girando, como se aquilo fosse uma coisa óbvia. vocês me entendem? que bom! eles me entendem!"

Feliz dia dos professores ;)

3 comentários:

euretrato disse...

Acho que trabalhar com crianças deve ser mesmo incrível, uma responsabilidade enorme!

Moça bonita, feliz dia dos professores atrasado <3

Felicidade Clandestina. disse...

Feliz dia do professor, porque nunca é tarde pra desejar felicidade ao profissional que faz todas as profissões acontecerem no futuro, nesse processo que envolve paciência, amor e pulso. Que sabor doce tem as crianças e todo seu universo onde a simplicidade prevalece sempre!

Monique Químbely disse...

Vc é professora *-*
Amei o texto, e adiro muito o jeito "cru" das crianças, e até de algumas pessoas mais velhas.
A vida seria muito mais descomplicada e feliz se cada um visse o quanto é normal uma pessoa ser ele mesma, sem nem prejudicar alguém com isso.
Obrigada pelo comentário no meu blog!
Bjss