segunda-feira, 23 de abril de 2012

nosso recanto


era uma viagem simples, de apenas três dias, mas com um detalhe incrível: sem os pais.

o tal do acampamento ficava em minas gerais e para a alegria de todos nós, simples paulistinhas, a viagem demorava horas. parando pra pensar agora, viajar de ônibus com a escola era um evento memorável. havia todo aquele rebuliço do "você vai se sentar com quem", "quem vai levar o disckman" e "quais os cd's que vão na bolsa". lá, no ônibus, era um troca-troca paradisíaco, minha parceira oficial sentava com fulano, eu com sicrano, tridents e freegels rolavam soltos. apesar da viagem ser enorme, quando a gente menos esperava, tava lá, chegávamos. mas antes disso já havíamos cantado uma porção de músicas, compartilhado uma centena de segredos e passado o mesmo batom umas quatrocentas vezes. e o ônibus, vejam só, era só a premilimar da coisa.
lá no acampamento a gente "dormia" sozinha (sim, porque dormir ali era difícil), forrava a cama, arrumava o próprio armário e fazia uma porção de atividades. podíamos escolher entre andar a cavalo, caiaque, jogo de vôlei, jogo de hand, ou, é claro, piscina. e lá, no auge do nosso corpo desengonçado dos 13 anos, os meninos conseguiam achar alguma curvatura em nosso quadril e nós encontravamos ali perdidos algum tanquinho sarado. subíamos no tobogã e descíamos um milhão de vezes, almoçávamos, ríamos e depois: discoteca. latino bom-ba-va! e também o axé - era palco pra 'olha a onda' e 'morto muito louco' e também alguns funks 'eu vou passar cerol na mão'. e dá-lhe beijos escondidos, risadas abafadas, encontros proibidos. fico aqui pensando quantos primeiros beijos aquele lugar já não presenciou, quantas meninas sentiram o coração descompassado pela primeira vez naqueles chalés, quantos meninos se sentiram bobos por talvez estarem apaixonados pela primeira vez naquelas quadras. aí me deparo com o calendário e vejo que lá se foram dez anos. há dez anos eu era tão menina, me sentia tão mulher e tinha como maiores preocupações a combinação da roupa com a da minha melhor amiga, passar gloss de melancia da avon e rezar para que meu cabelo crescesse mais rápido. fico assustada.
foi ontem. 
e já faz tanto tempo!

8 comentários:

Bruna Gabriela disse...

Nossa, lendo esse post me fez lembrar da minha viagem com a escola também.
Realmente os anos passam e as lembranças são incríveis. :)

Stella Rodrigues disse...

bom que aproveitou seus momentos da melhor forma possivel, e quando olha pra trás tem apenas saudades e não arrependimentos, pelo menos nessa situação. O tempo passa, é bom e é ruim, a vida muda as responsabilidades vem :/ queria eu ter tido uma lembrança de alguma viagem assim.

Thamires Figueiredo disse...

Voltei há 10 anos atrás da minha vida e revivi tudo que você descreveu. Adorei :)

Beijos ;*

Gaby. disse...

hahahhaha! Que viagem legal +)
è estranho a gente ter memórias tão próximas, e o tempo as deixarem distantes com o regulamento dos dias, meses e anos!

Ana Luísa disse...

Nossa, Flá! Lembrei dos passeis da escola, da bagunça no ônibus.. lembrei de um dia todo que passamos num lugar super legal, uma vez.. Céus, faz 9 anos desse passeio, e parece que foi ontem!
Beijos!!

aline disse...

a escola que eu estudava nunca fez excursões tão longas, mas só de ler... me fez relembrar muitos bons momentos, daquela época.

Anna Vitória disse...

Flávia do céu, seu texto me levou pra 2004, na minha primeira viagem com a escola, que foi tudo isso que você descreveu e um tanto mais. Que saudades!

Thaís de Castro. disse...

"fico assustada.
foi ontem.
e já faz tanto tempo!"

Uau, o passado as vezes parece mais doce do que realmente foi, mas lembranças da pré-adolescência são mágicas! *-*