quarta-feira, 4 de abril de 2012

como pode um peixe vivo viver fora d'água fria

era um peixe e vivia em um lago.

um lago pequeno com água transparente. suas escamas eram azul bebê, com algumas faixas brancas. era um peixe muito bonito, que gostava de nadar pelo lago, e era feliz com o seu tamanho. o seu e o do lago. gostava de nadar por ali, de vez em quando ir à superfície. era um peixe feliz. até que um dia, de tanto escutar dizerem que aquele lago era pequeno para ele e que no mar ele seria mais feliz, decidiu mudar-se. sempre que possível passeava à noroeste, avistando a saída que dava para o oceano. mais de uma vez criou coragem para encará-la, passar pela saída e aventurar-se no mar. os outros gabavam de seu medo. ele não tinha as melhores escamas, não sabia nadar do melhor jeito? então porque não se aventurar em novas águas?
um dia, depois de muito pensar e com o coração despedaçado, decidiu que era chegada a hora. se despediu de todos e nadou forte de encontro com a fenda que levava ao oceano levando na memória o orgulho nos olhos de cada um que deixara para trás. e então o mar. aquela imensidão, os peixes diferentes e suas escamas escuras, seu tom de água verde musgo que deixava suas escamas azul bebe e brancas tornarem-se apenas de um azul marinho e cinza. sentiu-se feio. nada daquilo fazia sentido. percebeu que de nada adiantaria ter todo aquele oceano, se havia deixado para trás tudo o que tinha no lago. quis voltar. arrependeu-se. afirmava para si mesmo "mas como é que você poderia saber? esse tipo de coisa só se aprende experimentando". de repente, voltar para o pequeno lago tornou-se ainda mais difícil do que sair dele. como encará-los quando retornasse? como dizer "eu vi todo o mar mas eu prefiro o nosso pequeno aquário?" como explicar que lá as cores não são as mesmas, a água tem outro gosto, os peixes nadam diferente, as pedras são esquisitas e a superfície não é tão bonita como se esperava? pior: como dizer a si mesmo que havia se enganado, fracassado, tropeçado, errado feio desta vez. 

ficou ao lado da fenda, sentindo a correnteza passar, nadando sem sair do lugar. chorando desesperadamente. 

12 comentários:

Jéssica do Vale disse...

Texto envolvente.
Estou a segui-la.

http://antena-desarrumada.blogspot.com

Vanessa disse...

E é assim para nós também, ne? O pior é admitir para gente mesmo. Beijos

Bruna Gabriela disse...

Ele poderia voltar. Nada melhor que a nossa casa. Errar é normal, permanecer no erro que é burrice.

Lindo texto.

Larissa Bello disse...

Não há mal nenhum em não querer sair do seu confortável lago. Assim, como também não há mal nenhum em querer sair dele. Tudo depende de como cada peixe se sente em relação a si mesmo. E sim, esse dom do meu coração foi adquirido.

Bjo

Jessica disse...

Muito obrigada pela visita e pelo comentário Flá :)
Gostei também do seu texto! Frustação é algo um tanto difícil de lidar. Sinceramente eu não consigo muito. E isso acaba me amargurando um pouco.

del disse...

Fiquei triste :(
O peixe sou eu, muitas vezes. Aliás, nós todos somos o peixe em grande parte da vida. Amei a metáfora, o amadurecimento do seu pensamento, amei tudo! Quantas vezes ficamos com medo do que os outros irão pensar e quantas bobagens fazemos pra agradar terceiros... Este texto sou eu todinha!

PS: O título me fez lembrar de uma música do Teatro Mágico :D

gabriela m. four disse...

às vezes a gente só precisa enfrentar. e vai doer. vai doer ouvir aqueles falarem mal, desdenharem, e te chamarem de fraco. mas enfrentar ainda é o melhor caminho.
mas eu aconselho chorar um pouquinho mesmo. mas só um pouquinho. pra desafogar, desanuviar e dar coragem (:

Emilie S. disse...

lembrei,levemente, de Procurando Nemo. De alguma forma, você descreve alguém amadurecendo.

Emilie Escreve

Stella Rodrigues disse...

O mar vai arrastar ele de volta para a alegria.

Camila Marques disse...

Nossa amei o texto, essa decepção frustração é algo meio complicado mesmo, mas a gente acaba se virando no fim :/ você escreve muito bem!

Renata Bittes disse...

Nossa, que lindo Flá!
Eu queria ter essa criatividade q vc tem.
Lembrei do meu intercâmbio, quando bateu a crise de querer voltar. Uma metáfora perfeita pra minha experiência rs

Bjs!

Carol Vicente disse...

Profundo o seu texto, menina... Mas, não vou dar uma de psicóloga aqui, né?! rs Gostei. Vc escreve super bem.
E sabe de uma coisa? A gente precisa espairecer mais vezes... Sair, seja com amigos, amores, sozinha! Temos que aproveitar mais nossa vida.
Nos cansamos e estressamos demais no nosso dia-a-dia. Temos que fazer algo por nós mesmas.
ADOREI sua visita. Vou te seguir pra não perder mais.
Beijão e ótimo resto de semana.