sábado, 14 de março de 2009

Andar com fé eu vou, que a fé não costuma falhar


Tem uns que se apegam à Deus, Cristo, Alá, Moisés, Buda, Shiva. Alguns chamam de religião, outros dizem acreditar em um poder superior. Há ainda aqueles que dizem que tudo está perfeitamente conectado através da ciência, que é o Universo que se encarrega das coisas mais simples e banais. Grande maioria da população acredita. Acreditar. De um jeito ou de outro, lá está a chave para a calma, para o desespero, para o agradecimento. Fé. Acreditar.


Acho difícil, missão impossível entender aqueles que são declaradamente ateus. E sei que existem muitos! Mas não consigo conceber a idéia de não ter à que se agarrar, não ter pra quem pedir colo, não olhar pra cima e agradecer. Não consigo imaginar uma vida onde tudo seria simplesmente consequência, onde o encontro de duas pessoas é feito pelo acaso, onde famílias se formam sem que exista alguém olhando por elas.


Nunca fui religiosa, mas sempre acreditei e pra mim essa é a grande chave de alcançar os objetivos e enfrentar as adversidades da vida. É importante ter essa conexão com esse algo, esse alguma coisa. Cada qual com seu Deus. Acredito em destino também, mas daqueles com escolha, onde a gente encontra uma plaquinha com duas indicações onde a gente decide qual caminho tomar. Cada qual tem um percurso traçado que nos leva até outra plaquinha, num processo contínuo, até o final das nossas vidas. Gosto de saber que tenho escolhas, e gosto de saber que esse meu "destino opcional" é guiado por Deus.


Ultimamente, tenho rezado mais, lido mais e ando mais reconfortada, mais completa, como se me preenchesse. Ando feliz e com a certeza de uma felicidade ainda maior adiante. É o que costumam chamar de fé e é o que eu costumo chamar de acreditar. No final, é tudo a mesma coisa boa.

Nenhum comentário: