quarta-feira, 30 de novembro de 2016

tempo nosso

hoje eu assinei aquelas camisetas.

vocês faziam isso quando mais novos? no último dia de aula levavam a camiseta mais suja e velha do uniforme, munidos de canetinhas para que a turma toda assinasse o nome, mais vidrados na chance de testar uma nova assinatura do que preocupados de fato com a posteridade? eu fazia. não sei direito onde foram parar as minhas e a mais doce lembrança que tenho é de uma, na oitava série, quando grandes amigos fizeram questão de assinar em diversos cantos da camiseta, pra mostrar importância. tempos sem facebook, aqueles. 

as crianças de hoje também o fazem. fizeram hoje. não sabiam ao certo o que de fato escrever, muitas levaram as canetinhas erradas e - o que achei mais estranho, devo confessar - não tinham as camisetas no corpo, mas sim dentro da mochila. tiravam dali e estendiam na mesa "para ficar mais retinho". tive vontade de corrigi-las, mas eu não sabia dizer o que era mais certo. 

que tempos os de hoje. uma invasão de fotos no facebook, milhares de imagens que nunca serão impressas e que expressam diversas declarações de amor para todo mundo ver nas redes sociais. grupos da turma no whatsapp. cola digital. subgrupos da turma no whatsapp. áudios compartilhados. "posso tirar uma foto da lição de casa, prô?". "fulano tá online, quer que eu pergunte se ele chega atrasado ou vai faltar?". tudo digital, as letras cursivas cada vez mais medonhas enquanto os dedos deslizam cada vez mais rápido nas teclas dos celulares. e no meio disso tudo uma camiseta e algumas canetinhas.

"te adoro! boas férias! se cuida! você é meio estranho, mas te acho legal! uma assinatura pra você lembrar de mim sempre. mirela. pietro. nika. gabi. dandara. que sua vida seja tão linda quanto você merece, prô flávia." meus professores não assinavam camisetas. eu assino. que tempo bom esse - que é deles, e por que não também nosso?

2 comentários:

Renata Bittes disse...

Que legal que as crianças ainda fazem esse lance da camiseta. Pena que para nós talvez essas assinaturas fossem mais especiais. Era um pedaço de cada guardado para nós. Hoje todos estamos expostos para todo mundo.

Vitor Costa disse...

Como professor também, devo dizer que compartilho desse sentimento e assinei várias camisas dos meus alunos. Eu, quando criança, não fazia isso e agora, sob outro prisma, tornou-se uma experiência especial.

Muito bacana teu espaço! Beijos!