quinta-feira, 28 de maio de 2015

serpente

não sei mais onde eu começo ou termino. 

maio tem sido um mês cão. briguei feito doida com a maior parte das pessoas que amo e sinto que minha paciência anda mais baixa que os níveis da cantareira. minha autoconfiança, então, nunca foi tão escassa! a estria na perna esquerda ainda me incomoda, mas meu cabelo já foi mais loiro, mais brilhante e sedoso. cortei a franja só pra achar que comprida estava melhor. com toda essa evolução no mercado, por que ainda não inventaram nada pra fazer peito crescer? e que merda de calcanhar grosso é esse. nem pé de criança que joga futebol na rua (isso ainda existe?) precisa tanto de podóloga como eu. 

é como se eu nunca fosse o bastante. não me dou trégua, sempre acho que posso ser mais. não consigo decidir se por excesso ou falta de confiança - excesso por achar que sempre poderia ter feito melhor, falta por nunca estar completamente contente com o que de fato fiz. ninguém deve viver assim. buda explica. eu sempre gostei tanto de budismo, mas até ele pode ser causa de frustração caso você não consiga segui-lo. it sucks. 

queria ser mais boazinha comigo, menos crítica, mais leve. mais como sou com os outros. seria tão bom me tratar como sempre tratei os outros, com a mesma paciência, a mesma compaixão. mas ultimamente tem acontecido o inverso. me pego irritada com aluno rindo de besteira no fundo da sala e me é penoso ter que repetir uma mesma instrução mais de uma vez. porra, já não ouviu na primeira? susan miller deve explicar. mas dane-se ela. que raiva eu tenho de gente que aponta problema sem mostrar solução. 

acho que podiam olhar pra mim de um jeito diferente. como eu olhava para os outros. com a mesma calma, paciência, compaixão. acho que o mundo me endureceu e eu odeio gente dura. quando olho no espelho fico em dúvida. acho que tô trocando de pele.
não sei mais onde eu começo.
nem onde termino. 

3 comentários:

Manueli L Dias disse...

Muitas vezes, precisamos de um afago, não dos outros mas de nós mesmos! Seguido de um banho relaxante, e massagem nos pés até dormimos! Só desejamos que a vida seja gentil conosco, e que nós, possamos ser gentis também.

Beijo, e boa sorte com Maio... mas logo passa, chega Junho, vem férias. E "que seja doce!"

K. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
K. disse...

Estou passando por um momento similar, onde parece que tudo se normaliza, não tem novidade, não tem desafio, não tem mudança e ao mesmo tempo é tudo tão estressante. Se respiram errado já me irrita, se meu namorado pisca errado eu brigo sem motivo. Nem eu quero me aguentar mais. Por dentro parece que estou gritando por socorro, pra parar de ficar assim.
Quando eu era mais nova, certas atitudes me surpreendiam, e eu pensava: nunca quero ser assim. E devagar, parece que a gente vai se transformando no que não queria ser. É o que voce falou :"o mundo me endureceu, e eu odeio gente dura"

ps: adorei sua passagem no meu blog :D