quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

como é que se diz eu te amo

eu acho que eu soube no momento em que eu te vi. 

vi esses dias um vídeo da mallu falando do primeiro encontro com o camelo e ela o descreve como um ser iluminado, uma santidade. ela diz que se apaixona instantaneamente e eu acho que se eu não te reconheci como uma santidade no momento em que te vi, com certeza me apaixonei imediatamente após você dizer que me acompanharia pra comprar aquela garrafa d'água. 

eu fui me acostumando com a certeza do nascimento do amor dentro de mim. não era uma coisa com a qual eu estava acostumada, veja bem. vivi dez anos acreditando que amor de verdade só acontecia uma vez na vida e Deus sabe o quanto eu já tinha amado, então eu tentava burlar o meu sistema contestando aquelas sensações. como a felicidade que brotava ao ver seu nome na tela do celular, ou a doce surpresa de ver que você encarava a vida como eu, ou ainda, o fato de você terminar as frases junto comigo, ou dizer as palavras que eu estava prestes a dizer e não dizia por ficar muito embasbacada com a beleza do seu sorriso. "paixonite", eu diminuía. "aguda", quando isso parecia pouco demais. 

mas a verdade é que lá para o terceiro mês nem isso adiantava mais. e no quarto, quando a dúvida do amor verdadeiro já tinha tomado meu consciente, eu escrevi pela primeira vez no meu diário que paixão não definia aquele sentimento, apesar do medo que isso me causava. escrevi algo como "tenho a sensação de que meu 'eu te amo' só não saiu da boca, porque de resto...". foi a primeira vez que eu verbalizei esse sentimento. em silêncio.

escalar uma montanha pode parecer perigoso, saltar de bungee jumping pode soar como loucura e fazer slackline com certeza é das coisas mais difíceis, mas experimenta dizer eu te amo. experimenta tentar, se jogar na entrega desse abismo que é desnudar a alma na frente de outra pessoa, sem suar frio, sentir taquicardia, tremores ou pânicos súbitos. é adrenalina pra deixar muito esporte radical no chão. e o medo de receber um sorriso amarelo em troca? um abraço apertado de pena, ou um olhar assustado? mas ah, e a esperança de ouvir um 'eu também' de volta, seguido de um beijo de tirar o fôlego? é, eu tinha medo de dizer eu te amo. mas eu queria tanto!

porém, flausino há tempos canta que tudo que acontece na vida tem um momento e um destino e eu tive a sorte de ser premiada por ele. quando te encontrei tocando pandeiro cinco anos atrás, quando escolhi outra pessoa pra poder assim me tornar alguém melhor pra você depois, quando te reencontrei no meio de uma improvável balada sertaneja pouco tempo depois de você ficar solteiro e quando meu coração sentiu que o seu era a casa onde eu queria viver. e depois de muito esperar, você disse. com uma taça de vinho na mão, música rolando ao fundo e olhos nos meus olhos. foi quase um suspiro: euteamo . pedi pra você repetir. será que eu estava bêbada? e você disse de novo. e de novo. euteamo. três palavrinha tão pequenas, tão imensas e leves e carregadas de significado ao mesmo tempo. você deu à elas o peso necessário e eu correspondi. porque é assim que se diz eu te amo, meu amor. e é assim que eu amo você. 

6 comentários:

Maria Cândida disse...

Que texto amor, e eu te entendo tão bem que nem sei direito o que comentar. Minha vontade é de escrever um texto igualzinho porque você passou esse sentimento para as palavras de uma maneira tão sublime, dá inveja, HAHAH. Mas é claro que não farei isso. :)

Eu costumava visitar esse blog, mas você não deve lembrar de mim. Sumi e voltei.

Beijos
Nighght

Kamilla Barcelos disse...

Que texto delicado!
Achei tão lindo, Flá. E é bom saber que tudo isso você está vivendo.

Lilica disse...

Flavinha você merece muito toda essa felicidade que esse amor inesperado e tão maravilhoso está te proporcionando. Muito feliz com a sua felicidade! Beijos

Tary Zottino disse...

RT na Lili, amiga! Você merece tanto toda essa felicidade <3
Fiquei arrepiada com o texto! Tão, mas tão lindo.
Beijos, te amo!

|Milena Carneiro disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
|Milena Carneiro disse...

Fiquei encantada com as palavrinhas que você deixou registrada como marca de lindeza em um texto meu, então resolvi passear por aqui e me dou com esse texto tão lindo e tão real. Me fez rememorar a sensação do "euteamo" que um dia eu também vivi, exatamente assim! Com as reações, adrenalina e um pedido para que repetisse quando eu o escutei (desse jeitinho do seu texto). Parabéns pelo lindo texto!