sábado, 17 de maio de 2014

quem precisa de amor pra quem tem livros (eu! \o)

Minha querida amiga Anna Vitória me presenteou com esse meme delicioso (porque vocês bem sabem que livro é comigo mesmo!) e eu só não postei imediatamente porque sou libriana e quem tem libriano na vida sabe que indecisão é um dilema diário. Não porque nos falte opinião, que fique claro, mas porque nosso senso de justiça é muito aguçado. Faço esse post sem ter, porém, nenhuma certeza se a justiça está de fato sendo feita, mas lidando com aquilo que me veio de rompante, sem teorizar demais. Espero que gostem e também postem, donas Gabriela Couth, Giuliana e Marie :



1) Vox Populi (um livro para recomendar a toda gente)
Eu acho que eu vivo recomendando mil e um livros para todo mundo. E confesso que fico felicíssima toda vez que alguém vem até mim com o ponto de interrogação: “O que você me indica?”. Acertar é uma meta e não há nada que me desiluda mais do que saber que indiquei o livro errado para alguém. Sendo assim tem três que me vem na cabeça imediatamente quando penso nos mais indicados, porém, como professora que sou, ultimamente venho batendo muito na tecla de A Culpa é das Estrelas para os meus alunos. Este livro é fenomenal em qualquer idade, mas fico pensando como deve ser poder ler na adolescência. Se você não leu, leia, é uma ordem, fim.
2) Maldito plágio (o livro que gostaríamos de ter escrito)
Que tópico difícil, porque se tem uma coisa que eu gostaria era de ter escrito milhares de livros incríveis que já li. Porém, quem me lê aqui sabe que eu adoro uma história de amor (desamor seria mais apropriado, produção?), e minha mãe pegou Um Dia pra ler estes dias e eu só consigo pensar em como eu não tive a genial ideia de acompanhar um casal num mesmo dia durante vinte anos. Eu queria...

3) Não vale a pena abater árvores por causa disso 
Pensei que esse tópico seria difícil, mas na verdade mesmo pensei em uns cinco que não valeram o preço, as horas, a leitura e muito menos os abates das árvores. De qualquer maneira, fico com o responsável pelo meu ódio eterno aos italianos e isso se resume a Desculpa se te chamo de amor. Peço desculpas à natureza e às minhas horas perdidas todas as vezes que penso que perdi meu tempo lendo esta bosta maldita porcaria. 

4) Não és tu, sou eu (um livro bom, lido na altura errada)

Eu pensei em vários clássicos para citar agora, cuja tentativa deu erro, mas só posso dizer Eu Sou o Mensageiro, do Markus Zusak. É eu sei, vocês amam, o vizinho ama, todo mundo ama, mas eu não amei! Achei enfadonha a leitura e a história mega previsível. Mas, como sou uma pessoa justa percebi que todos brilham quando falam deste livro e reconheço que o erro deve ter sido eu. Tenho que tentar de novo e pronto. 

5) Eu tentei... (um livro que tentamos ler, mas não conseguimos)

Eu estou na vibe dos clássicos desde o ano passado e tenho me surpreendido com a leitura de alguns muito, mas muito bons. É delicioso ver que a crítica tem fundamento algumas vezes e que Jane Austen é realmente maravilhosa, ou o quanto F. Scott Fitzgerald merece mesmo ser aclamado. Mas eu tentei ler The Bell Jar ano passado (ou retrasado?) e não consegui. Juro que meti muito esforço na empreitada, mas acabei abandonando o que é muito raro acontecer. Este é mais um que eu acho que devo tentar novamente, mas assim... num reino de far far away, como diria o Burro. rs

6) Hã? (um livro que lemos e não percebemos nada OU um livro com final surpreendente)
A Elegância do Ouriço. Por favor, A Elegância do Ouriço. Estou aqui me controlando para não dar spoilers, mas quem não leu deve mesmo tentar – ainda que eu o advirta: não é uma leitura fácil e você tem que gostar de filosofia. Eu li CINCO vezes a mesma página porque simplesmente não conseguia acreditar. Achei que a autora tava brincando, que a personagem estava sonhando, pensei tudo... menos que aquele final fosse possível. Mas foi. E foi incrível.
7) Foi tão bom, não foi? (um livro que devoramos)
Aqui pensando agora me deu até uma nostalgia, porque outro dia, em uma conversa com a minha irmã, cheguei à conclusão que é uma tristeza sem fim não poder reviver a primeira leitura de um livro. Harry Potter entra aqui, obviamente, assim como vários outros maravilhosos. Mas resolvi abandonar o bom senso e ir com o coração: Crepúsculo, que saudade de você. Quando peguei o livro pra ler não se falava de filme, ninguém sabia de absolutamente nada e vampiros ainda tinham medo de alho e de sol. Comprei simplesmente pela capa maravilhosa (o que será essa maçã?) e me surpreendi a cada página. Só amor. E saudades.

8) Entre livros e tachos (uma personagem que gostaríamos que cozinhasse para nós)Gente, que coisa feia! Estou pensando, pensando... e não consigo lembrar de nenhum! #shameonme!
9) Fast forward (um livro que poderia ter menos páginas que não se perdia nada)
Olha, este é um tópico complicado ainda mais para quem está no terceiro volume de Guerra dos Tronos que tem tipo 900 páginas (Annoca, prepare-se!). Mas li esses tempos A Garota que você deixou para trás, e meu Pai do céu, quanta enrolação! Em 100 páginas o negócio já tava mais que resolvido! Jojo manchou sua reputação com esta semi-porcaria. 

10) Às cegas (um livro que escolheríamos só por causa do título)

Nossa, que difícil! Porque de qualquer forma eu sempre acabo misturando com a ideia da capa como um todo. Pensei em dizer vários, mas sempre associo com as imagens. Sendo assim, e para não ficar sem responder mais um tópico deixo aqui Tigres em Dia Vermelho que me deixou muito instigada quando vi pela primeira vez. Que diabo de título é esse!? E que capa linda! – E o livro é bom! 


11) O que vale é o interior (um livro bom com a capa feia)

Olha, quem me conhece sabe que eu detesto livro de autoajuda. Acho mesmo ruim para caramba apesar de algumas vezes me entregar para alguns – para só então reiterar o meu ódio. Mas Você Pode Curar Sua Vida é mais do que um livro pra mim, é tipo meu livro de cabeceira. Eu acredito em tudo o que essa mulher diz e mais do que isso, consegui por em prática e ver que funciona. Porém a edição que tenho aqui tem uma capa horrorosa! Tão horrorosa que eu fiquei feliz em ver que lançaram uma edição linda esse ano – e estou louca pra comprar! 


12) Rir é o melhor remédio (um livro que nos tenha feito rir)

Preciso urgentemente ser uma pessoa mais bem humorada. Estou há cinco minutos olhando pra minha estante e não consigo pensar em nenhum que realmente tenha me feito rir. Já basta o drama da vida real, vamos buscar uma comédia, porfavor. Acabo de me lembrar que Diário de uma Princesa foi um livro fenomenal, que marcou minha adolescência e que me fez rir horrores. Achei digno voltar pra fazer constar. 

13) Tragam-me os Kleenex, faz favor (um livro que nos tenha feito chorar)

Como minha amiga Banana, é difícil eu realmente sentar e chorar com um livro. Eu sinto uma dor muito grande na maioria das vezes e posso ficar apática por horas de choque, mas sem derramar lágrimas. Porém, ler A Menina Que Roubava Livros novamente me rasgou o coração e tive que fechar o livro pra chorar. Coisa parecida aconteceu com Um Dia e A Culpa é das Estrelas, mas não vou me repetir. 

14) Esse livro tem um V de volta (um livro que não emprestaríamos a ninguém)

Eu sou uma alma caridosa no que diz respeito a empréstimos. De verdade, só empresto pra quem merece e pra esses entrego de olhos fechados, sem dó nenhuma. Porém, eu tenho um certo grau de apego com as minhas sagas Crepúsculo e Harry Potter. Elas inclusive tem um hall da fama aqui na estante. Ah, mas acabei de lembrar! Ensaio Sobre a Cegueira é um livro que eu tenho muito apego, de verdade. Ele está lindo e praticamente intacto – e senti um egoísmo só de olhar pra ele e imaginá-lo em outras mãos.
15) Espera aí que eu já te atendo (um livro ou autor que estamos constantemente a adiar)
Aqui eu tenho que citar dois e completamente opostos. Um é Cavalo de Tróia que é um livro adorado pelo meu pai que eu nunca me sinto preparada pra ler pois morro de medo de não gostar ou não entender e ele ficaria arrasado. E o outro é Melancia que adio por razões inexplicáveis! Tem sempre um melhor pra eu passar na frente e o tadinho fica lá. Pobrecito.


Acho que é isso. Quem estiver com vontade roube a vontade o meme que foi criado pela InesBooks. =]


8 comentários:

Ana Luísa disse...

Amiga, amei seu comentário no meu blog, principalmente em relação ao que você tem indicado aos seus alunos! Que delícia de ~poder~ esse, de colocar essas pessoas em formação em contato com obras tão deliciosas. Você devia pedir para eles uma redação sobre ACEDE e depois deixar a gente ler! HAHAHA <3
A ideia de "Um Dia" é realmente incrível, fiquei pensando enquanto lia como ninguém teve essa ideia antes.
E credo, amiga! Ódio aos italianos? :((((
Eu amo "Eu sou o mensageiro", mas sinceramente não imagino que seja o tipo de livro que uma releitura vá te fazer apaixonar, viu? Tem vez que o santo não bate mesmo, e talvez se você tentar reler vai se irritar mais ainda.
Li Bell Jar em inglês, e tenho vontade de reler em português porque aposto que deixei passar algumas coisas importantes, haha. Mesmo assim, esse livro é tenso demais e eu terminei morrendo de medo de acabar maluca, como a personagem.
Morro de vontade ler "A elegância do ouriço". Acho lindo esse título, e muita gente fala bem.
E amiga, você arrasou falando de Crepúsculo, hahaha! Também devorei, mas nem lembrava. Foi uma febre que eu amei cada minuto enquanto lia, mas depois logo reconheci todas as falhas. É muito errado. Mas amei enquanto lia, e só por isso já vale.
E eu to aqui ansiosíssima para ler "A garota que você deixou para trás" e agora estou EM PÂNICO!
"Como minha amiga Banana" HAHAHA, AMO!!!!!
<3

Dayane disse...

Que de mais esse meme!Estou com vontade de fazer XD!
Obrigada pela visita ao meu blog, fiquei muito feliz!
Quanto a questão sobre sexualidade que falo lá no blog, é que falo de um ponto de vista cristão, que pode ser considerado "errado"por muitas pessoas, por isso resolvi nao me comprometer XD!
Bjos e volte sempre!

Dayane disse...

Ah, e tenho lua em libra, sei cm é.

Amanda disse...

Flavitcha!

Concordamos em quase tudo e, quando responder esse meme, teremos várias respostas em comum - principalmente aquela porcaria do Desculpe se te chamo de amor, pelo amor de Deus!

Também não consegui empolgar com Eu Sou o Mensageiro, terminei abandonando a leitura no meio. The Bell Jar eu nunca li, mas ouvi realmente falar muito bem do livro. Vou definitivamente anotar na minha lista A Elegância do Ouriço e Tigres em Dia Vermelho (que, por coincidência, estava em promoção na Cultura hoje de manhã!). Nunca li nenhum livro de Saramago, nunca me sinto preparada o suficiente pra ele. E, pelamor, leia Melancia e vire uma lover ou uma hater de Marian Keyes (espero que seja um lover, porque eu adoro!).

Bjs!

Ana Flávia Sousa disse...

Flá! Acho que consegui identificar - e roubar a resposta pra mim - de metade dos seus livros e a outra metade ainda não li - mas pretendo.
A não ser que Eu sou o Mensageiro ganhou meu coração e tudo culpa do Porteiro.
E devorei Crepúsculo em três tempos também - siiiim.
E O Diário da Princesa - pasmem- só li ano passo e devoreeeeeeeeeei! Tinha crises de riso com a Mia! hahahaha

Adorei suas respostas e explicações. Anotei livros pra ler.

Beijoca. :*

Giuliana Motyczka disse...

Flá, amiga!

Fui indicada, de novo, eba! Agora tenho compromisso duplo com esse meme, vou tentar postar na sexta <3

Te amo por ter lembrado de O Diário da Princesa. Sério. Eu passei anos da vida tendo crises de riso com os "cala a boca" da Mia e aff, que saudade!

Também amei muito que você citou One Day, porque eu com certeza tenho muito da Emma e esse livro me desperta tantos sentimentos que nem sei.

Ganhei A Elegância do Ouriço da Palo, vou ler em breve e sua descrição dele só me deu mais vontade ainda.

Beijoca <3

Paloma Engelke disse...

AI, O FINAL DE A ELEGÂNCIA DO OURIÇO. São tantos #feels que não consigo nem discorrer sobre. Acho que foi o único livro que eu solucei ALTO enquanto lia, foi totalmente um novo livro pra mim.

ACEDE é realmente um ótimo livro, mas acho que Alaska deixou uma impressão muito mais forte em mim, sabe?

Estamos juntas, porque também não consegui responder a pergunta da comida. E achei genial você ter escolhido Um Dia, porque é total um livro que eu também escolheria (mas nem lembrei dele porque está emprestado).

Adorei suas respostas, Flá. Beijinhos <3

Tary ♥ disse...

Oi, Flavitcha <3

Todo mundo sabe dos meus problemas com ACEDE, mas concordo contigo que é uma ótima indicação, principalmente para os adolescentes.

Amiga, eu amo demais o nosso hate club de Desculpa se te chamo de amor HAHAHAHAHAHAHAHAHA! Eu achei esse livro tão péssimo, que nossa. Demorei eras pra ler e até hoje lembro daquela poetização desenfreada e brega em cada início de capítulo.

Flá, não sei se você vai amar uma releitura de Mensageiro, mas adoraria que você fizesse. É um livro que eu devorei tão deliciosamente e, realmente, meu olho brilha quando lembro dele. Estou querendo reler no ano que vem, podemos ler juntas, se você quiser <3

Sempre sonhei em ler A Elegância do Ouriço, mas xiiii... não sou lá muito fã de filosofia, abandonei O Mundo de Sofia lindamente =/ Será que tento mesmo assim?

Nossa, eu lembro de ter comido Crepúsculo com farofa também. Lua Nova foi outro. Aí Eclipse e Amanhecer foram ruminados eternamente =/ Por que a Meyer não parou no primeiro????

Xiiii 2: como assim o novo livro da Jojo é uma semi-porcaria? D: Comprei no RJ e tava louca pra ler. AI MEU DEUS D:

Também morro de ciúme do meu Ensaio sobre a Cegueira, toca aí.

E, olha, correndo o risco de falar besteira por conta dos nossos gostos diferentes, preciso te dizer que ODEIO Melancia com todas as minhas forças e quase estrangulei a protagonista chata enquanto lia HAHAHA Espero que sua experiência seja diferente.

Beijo, amiga!