terça-feira, 7 de janeiro de 2014

Retrospectiva Literária 2013

Queridos e queridas, depois de ter reduzido este blog à quase pó, decidi voltar e ainda cheia de vontade por meio do meme delicioso que minha amiga Tary criou tempos atrás. Trata-se de uma Retrospectiva Literária, uma espécie de Oscar dos livros que mais amei e mais detestei em 2013. Ele é ótimo para a gente trocar figurinhas de livros e também ficar com mais vontade ainda de ler outros por aí, devido às indicações. Concorda comigo? Discorda? Achou um absurdo? Ficou com vontade de ler? Conta tudo depois! Beijos! 

Os livros que li em 2013
A Guerra dos Tronos, Ame O que é Seu, A Culpa é das Estrelas, A Idade dos Milagres, Giane – Vida, Luta e Arte, A Fúria dos Reis, Mar Morto, O Mundo Pós Aniversário, O Teorema Katherine, The Lucky One, Como Eu Era Antes de Você, Felicidade Clandestina, Ana e o Beijo Francês, O Evangelho Segundo Jesus Cristo, Pride and Prejudice, Admirável Mundo Novo, A última carta de amor, O Silêncio das Montanhas, Jardim de Inverno, O Oceano no Fim do Caminho, Ruínas do Tempo, O Apanhador no Campo de Centeio, Tigres em Dia Vermelho, O Chamado do Cuco, Cidades de Papel, Quem é Você  Alasca?, Deixe a Neve Cair, Boneco de Neve, O Segredo, O Duque e Eu

O melhor casal literário
Aqui eu vou ter que me dividir em duas. Lou e Will, de Como Eu Era Antes de Você obviamente levam este Oscar, por inúmeras razões, mas acho que o fato principal é que relacionamento é acima de tudo troca, respeito e aprendizagem e não há casal que tenha evoluído mais do que estes dois juntos. Mas devo mencionar aqui a Jennifer e o B., de A Última Carta de Amor, que me fizeram querer viver um amor maluco e sofrido daquele jeito, o que é muito improvável. O detalhe é que os dois livros são da mesma autora que já entrou no hall das queridas, Jojo Moyes.

Virei a noite lendo
A Guerra dos Tronos, primieiro livro da série "As Crônicas de Gelo e Fogo" de George R. R. Martin. Eu sei gente, que vocês devem me achar maluca lendo estes livros intermináveis e honestamente, até eu fiquei um pouco quando vi o tamanho do terceiro livro da série – motivo pelo qual não o comprei até agora e provavelmente não comprarei. Mas este primeiro livro é incrivelmente bem escrito, os personagens são MUITO bem construídos e eu simplesmente não conseguia parar de ler. Li aquela Bíblia inteira em pouco menos de duas semanas e reclamando de ter que fazer qualquer outra coisa senão ler. Há uma razão para ser um sucesso, gente. É muito bom!

Soco no estômago
O Evangelho Segundo Jesus Cristo, de José Saramago. Saramago desde sempre me soca a alma de um jeito incrível. Lembro que quando li Ensaio Sobre a Cegueira cheguei a ficar uma noite sem dormir e até hoje quando vejo a cidade meio erma me lembro das imagens que construí acerca do livro. Mas O Evangelho Segundo Jesus Cristo, para uma católica, não é um soco no estômago, mas uma verdadeira surra. Os questionamentos e a forma sem pudor como ele narra a vida imaginada (por ele) de Jesus Cristo é simples e direta, humanizada e muito, mas muito sábia. O meu livro tem tantos grifos, e as passagens são tão esmeradas que eu terminei com a certeza de que Saramago foi um dos homens mais inteligentes que pisaram nesta terra.

O livro mais triste que li
Nossa, aqui eu posso perceber o quanto eu li drama neste ano. Vivia querendo um livro mais denso atrás do outro.  Não tem como não citar Como Eu Era Antes de Você (da Jojo Moyes) , porque foi o livro que literalmente me fez fechar, sentar e chorar sem parar. Silêncio das Montanhas (Khaled Hosseini) também fez meu coração doer nas mais diversas páginas. Mas logo no começo do ano eu li A Culpa é das Estrelas (John Green) e olha, o livro simplesmente me rachou no meio. Se você que me lê agora não leu nenhum dos três, por favor, faça – mas tente terminar antes da TPM!

A maior decepção do ano
O Apanhador no Campo de Centeio, do J. D. Salinger. Tive vários livros irrelevantes este ano, mas não teve NADA mais decepcionante do que esse. Acho que na verdade, o grande problema foi que criei muita expectativa nele e o ditado mais velho do mundo já diz que quanto maior a altura maior o tombo, né? No começo eu me forcei bastante para ler e tentar gostar, mas foi uma chatice tremenda, não terminava o livro nunca e achei o Holden Caufield um garoto incrivelmente tedioso. Honestamente, to procurando entender o frenesi em cima deste livro até hoje.

O mais chato
Aqui eu tenho que citar dois, porque olha, aqui é pau a pau. Com certeza, Admirável Mundo Novo, do Aldous Huxley leva o Oscar. Sei que com isso detono aqui dois clássicos da literatura, mas é uma chatura sem igual. Consigo completamente entender a importância para a ficção e tudo mais, mas se tenho um conselho para dar é: não leia. A Idade dos Milagres, da Karen Thompson Wallace também foi terrível. Percebi com o livro que distopia pra me prender tem que ser realmente muito boa e achei a personagem chata, a narrativa arrastada e o final terrível. Deu vontade de correr pra Saraiva e buscar meu dinheiro de volta!

A boa surpresa
Tigres em Dia Vermelho, da Liza Klaussmann deve ter lugar nessa lista. Ele foi um típico caso de comprar um livro por impulso pela capa, mas olha, que final! O livro no começo tem uma narrativa um pouco arrastada, mas a autora opta por narrar a história pelos diversos pontos de vista dos personagens principais da história (que são cinco!) e que sacada boa! Chega um ponto que fica dificílimo você ficar cinco centímetros longe do livro e  acabei devorando. Fiquei surpresa ao saber que foi só o primeiro livro da autora. Muito bom!

Uma Menção Honrosa Sem Sentido Aparente
Preciso colocar O Mundo Pós-Aniversário (Lionel Shrive) nesta lista. Quando li, em Julho, achei até que seria meu melhor do ano. A autora (que é dona de um dos melhores livros que já li na vida – Precisamos falar sobre o Kevin) fez aqui um livro sobre as escolhas e as consequências na vida de qualquer pessoa de maneira tão... digna, que me pergunto como ela conseguiu simplesmente tirar tudo isso da cabeça, assim do nada! Sei que muitas pessoas vão considerar a narrativa arrastada e cansativa mas foi um dos livros que mais me fez pensar no ano, e entender que nem tudo são flores sempre.

Bate bola de personagens

Personagem masculino apaixonante: Étienne St. Clair, de Anna e o Beijo Francês. Eu consegui ver o St. Clair na minha frente a cada fala ou menção ao nome dele no livro. Ele é exatamente o tipo de garoto por quem eu me apaixonaria (e me apaixonei) na adolescência, só que sem os defeitos!

Personagem feminina admirável: Adoraria poder ter o humor de Daphne Bridgerton, a perspicácia e a auto-confiança dessa garota-mulher invejável de O Duque e Eu (Julia Quinn).

Personagem mais chato: Colin, do Teorema Katherine (John Green). Não há cara mais chato no mundo do que ele, um cara inseguro, descontente com tudo e sem sex appeal nenhum. Fim. E por Deus, Holden Caulfield, do Apanhador. O cara é simplesmente uó!

Personagem mais perturbador: Sem dúvida nenhuma o Jesus Cristo imaginado por José Saramago (no Evangelho Segundo Jesus Cristo). Para ser honesta, ele me perturba até hoje!

Personagem que mais me identifiquei: Lou Clark, novamente de Como Eu Era Antes de Você. Somos muito diferentes por fora e em muitos outros aspectos, mas os medos internos dela, e a maneira como ela colocou a vida no pause (e a quantidade de vezes que faço isso com a minha) chegou a me assustar! Tomara que eu consiga evoluir como ela!

O melhor livro do ano
Eu ia dizer que foi Como Eu Era Antes de Você, e olha quase, muito quase foi. Mas neste ano eu li Pride and Prejudice (Orgulho e Preconceito), da Jane Austen na íntegra e me apaixonei de um jeito que não dá nem pra descrever. Para vocês terem noção tive que conter meus dedinhos para não falar dele em quase todos os tópicos positivos desta retrospectiva - melhor casal, melhor personagem feminina, melhor - personagem masculino, personagem que mais me identifiquei e por aí vai - e por isso resolvi não incluí-los em nenhum porque são simplesmente hors-concours. Sou apaixonada por Mr. Darcy e Elizabeth Bennet imensuravelmente. Fiquei fascinada pelo livro, busquei tudo sobre, assisti o filme, tudo em pouquíssimo tempo.  LEIA!

9 comentários:

Milena M. disse...

Fláááá! Olha, comecei a pensar que você estava certa e que não somos mesmo almas gêmeas literárias. Mas mudei de ideia porque
1) também li MUITOS dramas. Nossa, chorei demais, sofri demais e li temas muito pesados
2) também me identifiquei com a Lou, apesar de não ter gostado de várias coisas no resto do livro
3) da primeira vez que li O Apanhador, minha reação foi a mesma. igualzinha. peguei birra do Holden também. Mas indico a versão original. Odeio a tradução disponível e acho que prejudica muito. Hoje Holden é um dos meus preferidos.
4) abandonei Kevin por questão de timing mesmo, mas concordo que os personagens da Lionel são muito bem construídos. Juro que vou retomar e te conto o que achar.
5) PRIDE AND PREJUDICE AAAHHH LIZZIE AAAAHHHHH DARCY AAAHHHH. Amo esse livro, amo esses personagens e a cada releitura só gosto mais.

Beijo, sua boneca <3

Ana Luísa disse...

Ei amada! <3
Amei o layout novo, amo cores, e essa quebra do branco com as cores no topo ficou muito lindo.
Eu amei Lou e Clark, mas tirando a tal da última carta, que é realmente maravilhosa, não curti A última carta de amor. E também não fui com a cara da sinopse do próximo livro da Jojo. Acho que minha história de amor com ela será com exclusividade de "Como eu era antes de você", acompanhemos.
Não tenho vontade de ler Guerra dos Tronos, acho que não vou curtir. Um troço que tem 'guerra' até no nome nunca me chama atenção. Queria que Harry Potter fosse dessa grossura. Sdds.
Nunca li Saramago porque tenho medo. Tenho muito medo de não gostar, porque se eu não gostar, acharei que sou burra e não sei apreciar uma boa obra. Morro de vontade de ler "As intermitências da morte". É o que mais me chama atenção.
Sobre O apanhador no campo de centeio: Não achei chato, li bem rápido, mas não entendi o frenesi também. E queria tanto ter amado! :(
Eu gostei de a idade dos milagres, porque diferente de você, distopia me pega muito fácil, hahaha. Mas é um livro muito frágil, realmente. A narrativa balanceia muito, e a protagonista é realmente enjoada.
Absolutamente AMO histórias narradas por vários personagens, já fiquei curiosa por esse tigre em dia vermelho. (Amo ler as retrospectivas de vocês com skoob aberto).
"Uma menção honrosa sem sentido aparente", AMEI essa categoria, HAHAHAHA.
É, aparentemente fui a única ~menina~ do mundo que passou ilesa por St. Clair.
HAHAHA, Colin e Holden realmente saíram no soco quando Deus foi colocar a chatice no mundo.
Amei tua retrô!!
Te amo! <3

Paloma disse...

Ai, Flá, tenho "O Evangelho Segundo Jesus Cristo" tem bastante tempo e ainda não li. Quem sabe esse ano? Você partiu muito meu coração esculaxando "A Idade dos Milagres", porque eu realmente amei esse livro. O único motivo pelo qual estou um pouco menos chatielly é que meu favorito de todos os tempos ganhou o maior prêmio. E, finalmente, acho que sou a única que nunca leu "Como eu era antes de você" e ACEDE, né?
Beijinhos.

Tary disse...

Amiga, li assim que você postou, mas tava no celular e esqueci de comentar quando liguei o computador. Perdoa?
Fiquei feliz que bichamos em matéria de casal do ano! E quero muito ler os outros livros da Moyes porque adorei a narrativa dela.

CORAGEM ler A Guerra dos Tronos, amiga. Eu morro de preguiça, apesar de ter certeza que vou amar. No kindle, talvez, quem sabe.

Saramago <3 Ensaio sobre a Cegueira é o melhor livro que eu já li, no sentido estético da coisa, sabe? É TÃO bem escrito e genial, que nossa. Tenho O Evangelho Segundo Jesus Cristo aqui e morro de medo dos socos no estômago que ele reserva, por isso vou adiando.

=((((((((((( Ai, Flá, chateadíssima com sua decepção. Eu amei TANTO esse livro e suas milhões de metáforas geniais, me apeguei de verdade ao menino Holden mesmo na versão porcamente traduzida que li. Tente em inglês!

MEDO de Admirável Mundo Novo como mais chato. Tô pra ler desde antes da faculdade e... bom, já tenho um ano de formada e nada. Acho que, no fundo, eu desconfio que é chato. E Banana quis me fazer ler Idade dos Milagres, mas eu vou fugir dessas distopias contemporâneas até ler uma clássica.

Depois de Kevin, sei que preciso de mais Lionel na minha vida. No entanto, tenho medo dos tapas na cara me pegarem em um momento ruim.

ÉTIENE ST CLAIR <3 <3 <3 Amo/sou/preciso. Mas prefiro o Cricket de Lola e o Garoto da Casa ao Lado. Sou apaixonada por ele!

HAHAHAHAHA Amiga, eu gosto super do Colin, mas concordo que ele é chato.

Orgulho e Preconceito é amor <3

Beijos!

Giuliana Motyczka disse...

Flá, linda!

Vendo sua retrospectiva percebi que, definitivamente, preciso ler Como eu era antes de você! Uma amiga disse que vai me mandar pelo Correio, então nem posso pensar em comprar e só me resta esperar, rs.

Tenho Guerra dos Tronos aqui há quase um ano e adivinha? Não tive ânimo de começar a ler. Na verdade, li umas vinte páginas do primeiro e parei porque o livro é muito grande. Quem sabe em 2014, né?

Também ganhei Anna e o beijo francês, que me deu super vontade de ler por causa da sua descrição da personagem!

Beijoca e boa semana <3

Gabriela, disse...

Flá! Eu amei o layout novo. Ficou uma graça! <3
Estou deveras feliz em ver que Como eu era antes de você está no post de todas. Pra mim foi o melhor livro do ano e também me identifiquei muito com Louise.
Sempre tive vontade de ler Guerra dos Tronos, mas a minha preguiça é gigante, nem pelo tamanho dos livros, mas acho que não vou gostar da história. :(
Eu amo tanto, mas tanto O Apanhador no campo de centeio, amiga. Mas entendo quem não gosta e entendo por demais tu achar Holden chato. Teve momentos que eu também achava, mas na maioria do tempo eu o amava. hahaha
Acabei de ler Katherine e Colin é um guri chato meeeeeesmo, meu deus. Que porre. Se Hassan eu fosse, já teria mandado ele longe há tempos. Hahahah
Me deu muita vontade de ler O Evangelho Segundo Jesus Cristo. Amo livros soco no estômago e esse chamou muito minha atenção.

Achei uma delícia a tua retrospectiva, Flá! <3
Beijos.

Kamilla Barcelos disse...

Eu li Como Eu Era Antes de Você, gostei mais ou menos. E já comprei A Última Carta de Amor.
É, sou dessas que tem medo do tamanho das "As Crônicas de Gelo e Fogo". Não sei se encaro, apesar que o seu comentário me empolgou. É tipo Senhor dos Aneis, que não tive coragem até hoje. haha
Adoro Saramago também. Ele tinha uma visão tão interessante sobre o mundo. Sou fã dele. Há tempos quero ler "O Envagelho Segundo Jesus Cristo", Flá.
Ah, eu adoro um drama também. hahaha
Eu não me decepcionei com "O Apanhador no Campo de Centeio", acho que eu o li na idade errada. Li com 12 anos. Mas te entendo um livro que inspirou até assassinos, esperávamos um pouco mais. Mas quero reler ainda.
Até que gostei de "Admirável Mundo Novo", mas li para a escola. E em se tratando de literaturas que nos obrigam, achei até legal.

Beijos

Anna Vitória disse...

Flá, não consigo te imaginar Guerra dos Tronos hahahahaha Sei lá, nunca nem li ou vi a série, mas todo mundo diz que é uma história meio treta, cheia de incestos, etc, e você é a barbie mafiosa, sabe? Mas enfim, tenho curiosidade com a série, apesar de não ser super fã de fantasia e aventura. Quem sabe agora que tenho um Kindle não dê uma chance, já que não estou afim de lotar meu quarto já abarrotado de livros com aqueles livrões!

Sobre Apanhador, assino embaixo da Mi e da Tary: dê uma segunda chance a ele no original. Digo por experiência própria, porque da primeira vez que li achei bem sem graça e qualquer nota, mas o original mudou totalmente minha perspectiva. O Holden tem simplesmente outra voz!

Saramago: não li o quanto deveria, porém respeito pra caramba. Li Ensaio Sobre a Cegueira e pirei (tô precisando reler, aliás) e Intermitências da Morte, que é absurdamente divertido. Confesso que não me sinto pronta pra encarar O Evangelho, sabe? Tenho medo do nó que ele pode fazer na minha cabeça, e definitivamente não estou no momento de encarar essas coisas.

Que saudade do St. Clair! Pirei muito com ele, mil borboletas no estômago, imagino ele tão bonito e cheiroso na minha cabeça hahahaha

Você e a Palo me deixaram muito curiosa para ler essa série da Julia Quinn! Vou dar uma folga pras séries de livros por enquanto para fazer as outras leituras renderem, mas essa tá muito na minha listinha.

E Orgulho e Preconceito dispensa quaisquer comentários, né? É até injusto colocar ele numa lista, porque como você disse, bate qualquer livro em todas as categorias!

Beijos, amiga, boas leituras em 2014 <3

Marie Raya disse...

Flavitchaaaa, a gente elegeu o mesmo livro no quesito decepção e pelos mesmos motivos! E bichamos no casal mais apaixonante também, haha. Eu devia ter colocado menção honrosa sem motivo aparente no meu também, mas esqueci. Se desse, eu colocaria Deixe cair a neve. Enfim, vários livros que você elegeu aí estão na minha meta de leitura desse ano! Aguardemos! <3