sábado, 14 de setembro de 2013

este não é só um post sobre cabelo

e daí que eu decidi mudar o cabelo na quinta-feira.

já fazia um tempo que eu estava querendo dar uma aparadinha nas pontas e puxar uns reflexozinhos mais loiros, mas na quinta eu consegui pegar o telefone e marcar. não era nada exuberante, uma grande mudança, só uma arrumação para o meu aniversário e uma mudança leve pra não cansar da mesma cara todo dia.  eu estava feliz e animada pensando o quanto seria bom dar uma renovada, quando na sexta-feira de manhã, antes de ir para o trabalho eu lavei o cabelo.

tive que dar uma secada rápida porque estava mais ou menos em cima da hora quando aconteceu. me olhei no espelho e fiquei espantada: meu cabelo estava fabuloso. num brilho de salão, uma maciez de comercial da pantene (e eu tinha usado elseve), uma cor de dar inveja até em mim mesma. fiquei pensando, mas que birosca, justo hoje que é o último dia que eu vou ter ele assim? mas é cada uma que o destino vulgar me prega, e agora, ligo no salão e cancelo ou continuo até o fim? 

o atraso não me permitiu continuar a confabular e como venho trabalhando mais do que nunca, quando cheguei em casa e me lembrei que tinha que ligar para cancelar o corte e reflexo neste sábado de manhã, o salão já havia fechado havia muito tempo. fiquei horas em casa remoendo o fato, pensando que seria mancada cancelar em cima da hora e ai meu Deus como iria ficar e blábláblá. a ladainha durou até hoje de manhã, quando me olhei no espelho e vi novamente meu cabelo impecável mesmo emaranhado. vamos lá, pensei. que ironia.

e aí que enquanto eu folheava uma revista meu cabeleireiro fez um serviço lindo e quando me olhei no espelho para ver o resultado não poderia estar mais contente. modéstia parte, o cabeleireiro acertou em cheio e eu adorei o novo tonzinho de loiro, o picotadinho das pontas, o movimento que ele me deu. voltei para casa feliz e loira e pensava como meu cabelo estava fantástico agora quando fui premiada com uma das músicas que mais gosto enquanto dirigia no trajeto "de volta para casa". 

e então que agora eu estou pensando quantas coisas na nossa vida não são exatamente assim. falar do futuro é muito bonito, mas a verdade é que quando ele está prestes a se tornar presente dá um frio na barriga, um medo tamanho, de que nossas expectativas se frustrem e que as coisas não saiam exatamente como planejamos. nestes momentos muitas vezes nós acabamos olhando pra trás e enxergando o nosso passado com um brilho e um vigor que nem sempre são verdadeiros.  não é nem que seja doído se despedir do passado: a dor aqui é uma antecipação de uma possível frustração futura. mas o que eu aprendi com esse papo de cabelo fabuloso é que pode até ser que nem sempre os cabeleireiros acertem, mas o brilho do que já foi muitas vezes é mais resultado da nossa mente do que dos nossos olhos. e que dá sempre pra melhorar, estando o nosso passado/presente ruim ou bom - olhando com os olhos ou com o coração.

6 comentários:

Milla Pupo disse...

Mudanças sempre me dão frio na barriga, acho que é normal resistir à elas, o importante é conseguir quebrar essa resistência e provar do novo :)

Parabéns pelo "cabelo novo".

Ana Luísa disse...

Amiga, cabelos são danadinhos! O meu viva embaraçado, fraco, sem brilho. Quando Humberto me pediu pra cortar pra fazer a peça, tirei uma foto um dia antes de cortá-lo. Foto tirada depois de um dia inteiro correndo e ensaiando. E eu nunca tinha visto meu cabelo tão bonito. As ondas estavam cheias, ele estava cheio de brilho, escorrendo pelo meu ombro, cheio de maciez, como se fosse um comercial, e só faltou a legenda "Porque você vale muito", sabe?
Cortei com um frio na barriga e uma dor no coração e... amei!
E agora com seu post aprendi que cabelos realmente fazem isso de ficarem lindos pra ver se temos piedade deles, na última hora! HAHAHA
Beijos! <3

Larissa Bello disse...

Realmente este não é um post sobre cabelo. Adorei o parágrafo final. Suas palavras me atingiram em um momento extremamente propício. E você tem toda razão. O brilho (ou a opacidade) que vemos pode, muitas vezes, estar somente nos nossos olhos. E não existe passado e nem futuro, e sim só o tempo do agora!

Bjos, loira!

Bruna Gabriela disse...

Quero ver fotos loira!
É sempre bom mudar.
Levanta a auto-estima, muda muito mais que o cabelo.
A gente cresce afinal.

Mayra disse...

Cabelo é sempre assim! Morro de ódio! Mas gosto de quando coisas simples como essa desencadeiam reflexões tão bonitas em nós!

marcela disse...

Ai Flá, é sempre aquele medinho chatinho de mudança. A gente tem medo delas, mas quando elas vem é sempre pra trazer um aprendizado.
Beijos!