segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

crônica de nós dois


esta semana nós tivemos uma de nossas brigas homéricas.

os hormônios estavam fazendo efeito em mim e você estava com a sua paciência mínima marcando menos quinze. fazia tempo que não fazíamos essa combinação. eu tenho sido muito tolerante e, às vezes, me pego irritada comigo com isso. sabe, de vez em quando eu também sinto vontade de ficar sozinha, não com amigos, não com videogame, mas comigo, meus cd's e livros. cada louco com a sua mania. mas eu não consigo dizer não pra você, é maior do que eu, quando você me liga comunicando que está vindo pra cá todo o resto parece minúsculo e às vezes eu tenho até inveja de você por ter uma namorada como eu. mas tudo bem, passa. enfim, eu queria ficar sozinha mais do que nunca, meus medos estavam inflacionados e eu estava com tudo programado para assistir mais um capítulo de brothers and sistesr com a minha irmã quando você disse que viria. eu pedi em pensamento: ai meu Deus, que hoje ele esteja calmo. não foi o caso e eu falei um monte de besteiras mas honestamente nem lembro a razão do início da briga. lembro de você me dizendo um monte de baboseiras e as que mais marcam são as que você repete toda vez: acho que eu estou infeliz e porque você não procura outro. eu tenho vontade de te esganar essas vezes e juro que se eu fosse um cisco mais desequilibrada do que sou eu teria um prazer enorme de te estapear com gosto. e nessas horas eu não minto quando digo que te acho um fraco: você não consegue reconhecer seus erros e o medo de me ver certa faz com que você recua e faça a única coisa que me faz perder a linha que é proferir as frases mencionadas acima. aí eu digo que você não presta, digo que você é um inútil fraco e que eu não sei porque eu te amo e você me chama de louca e de retardada e diz que está de saco cheio de mim. dessa vez eu ameacei descer do carro no meio da chuva e ir embora inspirada no beijo magnífico de diário de uma paixão, quando o pessoal lá de cima, animados, decidiram que era a hora do carro quebrar. e pifou. de vez. eu virei para uma janela do carro e você virou para a outra porque nós sabíamos o que viria depois: uma alta e boa gargalhada e beijos e abraços e risos e um "putaqueopariu,viu" em uníssono. eu posso até ser meio louca e você um semi-fraco mas você é a minha metade e a gente se ama. e é só por isso eu posso dizer que sou uma mulher inteiramente feliz.

ps: tem votação nova do letra e som. convido-as para entender minhas escolhas aqui, e logo depois votar aqui do lado. fui!

10 comentários:

Bárbara disse...

Dessa vez a primeira. ADOREI e me identifiquei muito!! Como é dificil dizer não. Deveria ter uma fórmula mágica pra ser mais fácil rsrs

Luv ...

Bá.

Ana disse...

E você se superando sempre mais com esses textos lindos, hein? Adorei com sempre. Me identifico sempre um pouquinho com cada um.

Camila Mancio. disse...

Wow, você escreve maravilhosamente, encanta-me.

Camila disse...

É tão bom quando o outro no completa.
Bjos

Larissa Amaral disse...

Amei o blog e o design também , andorinhas sempre me dão uma sensação de libertação . Seguindo , quando quiser dê uma visitinha no meu cantinho :

http://blog-da-lalynha.blogspot.com.br/
Beijos ;D

Cami disse...

Nossa, eu jurava que o texto tinha um fim trágico! Muito legal, me identifiquei bastante!

Amanda Inácio disse...

Lindíssimo esse texto, adorei!!
Beijinhos :3

Am
http://www.vinteepoucos.com.br/

Amanda Souza disse...

Identifiquei o meu último relacionamento até certo ponto. Mas acho que o amor é isso mesmo, é do amor ao ódio, do ódio ao amor. E parece que quanto mais ele te irrita, mais você tem certeza de que o ama.
Infelizmente, ex relacionamento não é ex amor, né? rs
Beijinhos

hiperbolismos.blogspot.com

Mayra Borges disse...

Isso é maravilhosamente perfeito. Acho que esse tipo de comportamento é algo que de certo modo pertence a mim, as brigas que começam do nada e terminam com boas recordações. Não tive escolha senão me encantar e mergulhar nas palavras. Encantada é pouco pro que eu fiquei. Beijos.

www.eraoutravezamor.blogspot.com

Mayra Borges disse...

Isso é maravilhosamente perfeito. Acho que esse tipo de comportamento é algo que de certo modo pertence a mim, as brigas que começam do nada e terminam com boas recordações. Não tive escolha senão me encantar e mergulhar nas palavras. Encantada é pouco pro que eu fiquei. Beijos.

www.eraoutravezamor.blogspot.com