segunda-feira, 11 de junho de 2012

um dia qualquer


era um dia qualquer, uma hora qualquer,  e ele estava ali.

o que mais gostava era o sorriso. com toda a certeza. o pedacinho da frente do dente faltando, o contorno da boca quase em forma de coração, bem feito, desenhado. ele falava alguma coisa sobre time, mas desde sempre, seus discursos eram apenas uma boa oportunidade para poder explorá-lo, registrar com os olhos cada cantinho seu pra poder levar pra casa e ficar virando as páginas da boa memória antes de dormir. eis que de repente ele riu gostoso, levando pra trás a cabeça e as mãos e então ela pode ver as ruguinhas que emolduravam seus olhos e ficou em tremenda dúvida. não seriam aquelas ruguinhas a parte predileta? pôde acompanhar o surgimento de cada uma delas, e ali estavam todas elas, quatrocincoseis, assim tão lindas, que quase quis colocar o sorriso em segundo lugar. mas então, enquanto ainda confabulava na dúvida sorriso-rugas, ele a abraçou. começou fazendo cócegas em seu pescoço e depois a abraçou assim gostoso, do jeito que quase a faz perder o ar. "onde você está amor?", ele perguntou, os olhos arregalhados. no abraço, ela pensou. ali, perdida no abraço, no cheiro e toque da pele, esse gesto tão pequeno que reúne todas as coisas que ela precisa no universo. é casa, moradia, mundo, perfeição, satisfação, amor. quanta coisa cabia ali, naquele abraço. quanta coisa podia sentir e dar ali, na ausência do beijo e na simplicidade do abraço. sem que ele entendesse, passou a mão nas rugas dos seus olhos, na curva da sua orelha, pra terminar contornando sua boca. ele ainda surpreso, sem entender nada, ganhou um beijo leve, inesperado. "o que eu mais gosto em você, amor, é quando viramos um só. tipo agora. tipo esse abraço." e deitou sua cabeça em seu peito, a mão fazendo ninho em seu cabelo. chorou feliz.

*feliz dia dos namorados blogueiras queridas

7 comentários:

aline disse...

feliz dia dos namorados, flá! :)
que seja um dia muito bem comemorado.

Amanda Souza disse...

Que texto lindo! Você escreve muito bem, viu? Adorei o texto *-*
Feliz dia dos namorados!

Sobre o comentário: é, eu adoro, acho uma palavra tão forte. Que coincidência a gente pensar na mesma coisa, né?
Beijinhos

www.hiperbolismos.blogspot.com

Luana disse...

pts.. que texto foda, desculpa, mas é palavras que encontrei, nossa saio dos clichês que tanto leio. Adorei mesmo!
Bjão.

Vanessa disse...

"chorou de amor", que coisa mais linda e verdadeira! Só amando para entender isso tudo de verdade, né? Beijos

Thay disse...

Ai que lindo, Flá! Você, sem dúvidas, é minha autora favorita desses pequenos contos - pq é isso que eles são, e são tão lindos! Fico pensando em todo sentimento que você coloca nas palavras, me surpreendendo quando noto alguma similaridade com algo que me aconteceu - "seus discursos eram apenas uma boa oportunidade para poder explorá-lo, registrar com os olhos cada cantinho seu pra poder levar pra casa e ficar virando as páginas da boa memória antes de dormir." AMEI! <3

Tary ♥ disse...

Nossa, Flá! Que delícia de ler esse texto... fui criando uma imagem da cena toda e suspirando sem parar! Amei a parte das rugas. Muitas pessoas não enxergam a beleza presente nelas. AMEI!

Beijos!

Emilie S. disse...

que lindo conto. singelo,romântico,na medida >.<
Emilie Escreve