sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

as meninas

foram quatro anos e uma infinidade de histórias e memórias que vão ficar.

não me caiu a ficha no dia, mas ela veio agora, olhando para a foto e vendo o rosto de cada uma de vocês e percebendo que nunca mais será igual. nunca mais os sacos de doce na sala de aula, os lanches na praça de alimentação, os choros no banheiro, a pauta principal sempre focada nos nossos relacionamentos pessoais. nunca mais os trabalhos intermináveis, as reuniões de estudo que terminavam em tudo menos em metodologia científica, nunca mais as palavras afiadas pra falar da vida alheia. nunca mais. e eu odeio fins ainda que saiba que eles são inevitáveis. parei pra pensar em todas as vezes que eu quis desistir, em todas as vezes que reclamei por ter escolhido essa universidade, essa profissão, isso tudo, 'porque eu era muito nova, eu não sabia o que eu queria e agora o que é que eu faço?'. mas aí eu cheguei em casa, descarreguei as fotos no computador e vi o rosto de cada uma de vocês. minhas duas companheiras inseparáveis, minha amiga toda paquitona e companheira de leitura, a outra sempre tão doce de voz alta, a que virou fashionista a que sempre teve os dentes menores que o sorriso. e eu tive a certeza de que tudo valeu muito a pena. era disso que eu precisava. era nesse lugar, era nessa sala, nesse curso que eu precisava entrar, porque em qualquer outro lugar do mundo nós não seríamos o que fomos aos trancos e barrancos durante esses quatro - longos, mas tão curtos! - anos.
e aí chego no velho clichê de perceber que entramos mesmo ainda um pouco meninas, mas saímos quase, quase mulheres. e com a certeza de que não importa o quanto cresçamos, o quanto vocês fiquem ou acabem indo mesmo embora (não quero!) da minha vida, é isso o que vocês sempre serão pra mim. "as meninas". mais que isso, "minhas meninas".


[pra sempre]

18 comentários:

Retrato em Branco e Preto disse...

Também tenho as minhas meninas, ex-companheiras de rotina e de doces lembranças. Elas serão sempre 'as meninas' da nossa história.

Lindo texto!
Um beijo

Lara Mello disse...

As amizades verdadeiras são eternas, independente de tempo, época ou ano ^^

ૐ 'Priscylα disse...

A amizade é a coisa mais linda que pode existir, lindo!

Luciana Espejo disse...

Vixi, acho que comentei em post errado... era nesse aqui =)

Anna Vitória disse...

Pode ter acabado uma fase, mas nada impede que vocês iniciem uma outra. E se não o fizerem, você sempre vai ter essas lembranças lindas :)

carol vasconcelos disse...

que lindo esse texto! tbm tenho minhas meninas, e por isso sei bem oq tu quis dizer. amizade verdadeira é dificil encontrar, mas ao q parece tivemos sorte de pessoas maravilhosas terem entrados na nossa vida e serem não só amigas mas, na verdade, anjos. e pode ter certeza, se for de verdade mesmo a amizade, nao existe tempo nem distância que seja capaz de apagar ou mudar isso.

Larie disse...

Entrei na faculdade ano passado, mas já as considero como 'minhas meninas'. É difícil achar mulher na engenharia, mas essas foram meu presente de Deus. <3

Gabriela Freitas disse...

As amizades verdadeiras são eternas, Flá.

Nina Vieira disse...

Já tive as minhas meninas - e que falta danada elas fazem em minha vida!

Sara disse...

Lindo! Estou indo para o ensino médio e me separando de amigos muito queridos (e alguns, espero, nunca deixarão d ser), engraçado essas coisas da vida.

Laís Pâmela disse...

Tudo que temos na vida são os amigos.
Costumo dizer: "não há fossa que dura muito tempo quando se tem amigas incríveis."


Beijo.

Gislãne Gonçalves disse...

Oi,
Criei uma página de fã no facebook para todos aqueles que curtem o blog “Vê se ri um pouco”. Para seguir bastar clicar no link “Curtir” no gadget da página de fã que está lá no blog, o gadget intitula-se “Face”.

Beijos
Espero que goste :)

disse...

que lindo....
conheço bem essa fase, passei por isso, e apesar do "fim" e da distancia, as meninas sempre estao presentes, seja pelas fotos, por msgs no cel, pelo face...
e pelo menos um encontro no ano. basta querer...
será eterno....
alegrias... beijos

Maria Paula Carvalho disse...

triste, nostálgico.
é realmente clichê a sensação do nunca mais.
mas o importante foi que marcou, e que lembranças ficaram.

Renata Bittes disse...

Ain, apertou meu coração... Minha turma toda meio que separou, mas tenho os meus preferidos que dá uma dor no coração saber q os encontros n serão as quartas pela manhã. Que teremos toda vez que marcar alguma coisa.. E esse "marcar alguma coisa" às vezes só fica nisso...

aline disse...

no começo da faculdade, eu sempre pensava nos motivos que me fizeram estar ali, porque eu deveria estar no curso errado, na faculdade errada...
mas agora, eu tenho medo do fim.
fim são tão avassaladores...

Stella Rodrigues disse...

Vidas se distanciam e infelizmente na maioria das vezes o que nos resta são só as memorias. Cada um tem seu destino e uma vontade diferente a seguir.

Sahara Higino disse...

És doida varrida de amor?
Então posso sentir-me em
casa? (risos).

Decidi ficar por aqui;
sigo-te. Um abraço!