terça-feira, 19 de julho de 2011

margarina e sabão

vivo falando dos meus vizinhos porque são mesmo família invejável. mesmo quando é domingo e eu preciso acordar cedo no dia seguinte e eles insistem em escutar músicas até depois da meia noite eu não consigo reclamar porque a seleção que eles deixam tocar é sempre primorosa.
mas neste final de semana, nós do lado de cá não fizemos feio.
resolvemos lavar o carro. e lavar o carro é coisa de infância, de colocar qualquer roupa e se molhar toda, de sentir o cheiro de água de mangueira invadindo a rua pra lá do portão, de enfiar as mãos no balde e ficar cheia de sabão. lavar carro é parte da minha memória de menina, quando meu pai vinha com toda aquela técnica, o calor gostoso contrastando com a água gelada, o som do carro animando o serviço. e aí, depois de anos (apáticos) de lava rápido, eis que surge a primorosa ideia de lavar na mão mesmo, porque era domingo de sol, o carro estava sujo e não tinha nada mais importante pra fazer.
e lá fomos nós. eu ajudava minha mãe na cozinha, mas assim que a farofa tava pronta e o arroz quase no ponto ela me liberou e fui pro quintal animada. minha irmã já tinha o boné de guerra na cabeça, e sabão até na ponta da orelha e a única coisa que faltava era lavar a roda. tem coisa mais suja e gostosa? aí aqueles gritos básicos de "não deixa o cachorro escapar!", "fecha essa torneira, você está me molhando toda", "cuidado com o carro que vem vindo", "mas não tava aqui agora mesmo o balde com sabão?" começam a soar acompanhados de alguma gargalhada e daquela sensação boa que é como cócega no coração, que aos poucos invade a alma e diz pra sua consciência - sabe, é isso que importa.
e é isso que importa mesmo.
depois tomar um banho rápido e lavar o cabelo, sentar à mesa e contar um pouco da semana, como comercial de margarina. só que sem nenhuma na mesa.

14 comentários:

Ana Lu disse...

Ai Flá, adoro esses seus relatos! Sempre tão apaixonados pelas coisas simples, como um quintal, uma árvore, ou o fato de lavar um carro.. *_*
Você faz a gente reafirmar o encantamento com as pequenas coisas da vida, que são sempre as mais gostosas!
Beijos!

Ás de Copas disse...

Há pequenas coisas qe fazem toda a diferença e nos deixam felizes :) isso é bom!

'Lara Mello disse...

Ai, imagino como deve ter sido, isso que importa mesmo! :)

Pode chamar de diário. disse...

Ah, são detalhes que marcam e que traz saudades *-* Blog lindo, seguindo a pouco tempo, mas ja viciada em seus textos, bjs ;*

Camila disse...

A simplicidade é que traz alegria: Nada como um momento gostoso assim com a família!
E olha, também achei teu sobrenome lindo :) haha
beijoss

Gabriela Freitas disse...

Nada como um bom momento com a familia.

Priscilla disse...

Que lindo!
Adorei!
Beijos meus

Olga disse...

AMEI! reviver coisas que marcaram a infância é delicioso.

disse...

que delicia ler seus textos Flá...
é tao boa a convivencia familiar, por mais simples que seja...
e na verdade, na simplicidade moram as alegrias...

Kal Cavalcante disse...

aaaah, adorei esse texto! Sou uma apaixonada pelas pequenas coisas, e é por isso que gosto do seu blog, vocÊ sabe falar delas com tanto amor... admiro muito gente com essa capacidade. Nunca deixe de amar tudo o que faz e fazer tudo o que ama. Isso é realmente muito importante.

Vanessa Santos disse...

e irei viver!

Marina Melo disse...

que delícia, amiga!
e que delícia tbm poder ler os seus textos... meu orgulhoooO! hehehe
saudades!

sobrefatalismos disse...

Minha família teve carro, antes de eu nascer. Nunca participei dessa atividade que caracteriza uma típica família feliz.
Morro de inveja. Abraços.

.... disse...

Fláa, estou de volta. viva e otimista, graças a Deus. Depois de fase turbulenta, enfim chegou os bons ventos. como você está?
pode me add no msn quando quiser lilahmacedo@hotmail.com

um xero
enlatandomarcas.blogspot.com