sexta-feira, 29 de abril de 2011

doce infância

Vi uma menininha hoje com a mãe na rua. Era uma criança linda de uns seis, sete anos. Tinha o cabelo bem claro, assim como a pele, mas os olhos eram surpreendentemente escuros, um contraste que eu desde sempre acho lindo. Estávamos na calçada esperando aquela multidão de carros passar para que pudéssemos atravessar aquele turbilhão na avenida.
A mãe a segurava pela mão com força, mas na outra, na mão livre da menininha, ia um punhadinho de flores, dessas pequenas, que a gente vê em qualquer quintal. Pareciam violetas, e eram lilás e cor de rosa bebê. E por mais que a mãe tentasse contê-la, ela empunhava naquela mãozinha com muita inquietação, as flores como se fossem um buquê. Ela olhava os carros passarem ansiosa e pude notar que estava com mais pressa que eu pra chegar do outro lado da avenida.
Quando finalmente o farol abriu e conseguimos atravessar, entendi o motivo de sua inquietação. Ela ajeitou a tiara, segurou ainda mais firmemente o punhado de flores, e andou estonteante, olhando para um lado e para o outro como se cumprimentasse pessoas imaginárias. Ela atravessou aquela avenida como se fosse uma passarela, ou melhor dizendo, uma imensa igreja. Aquele era seu momento de princesa.
Na infância eu brincava de Lady Di, acho que ela vai acabar brincando de Lady Katherine. O nome da menina eu acho que era Sofia. Ela tinha cara de Sofia.

4 comentários:

Gabriela Freitas disse...

Eu também brincava de ser princesa, é bom relembrar, era tão bom ser criança.

Lilian disse...

Amo esse nome =)
Beijo.

Bells disse...

Lindo, encantador, fofo demais. Adoro seu cantinho, volto sempre.
xoxo.

Veronica Rodrigues disse...

Linda, muito obrigada pelas visitas e pelo seu ultimo comentario. Fiquei muito feliz. Um grande beijo e bom final de semana pra você.

keep writing. always.