sábado, 25 de julho de 2009

Mas e se...

....eu tivesse dito, falado, gritado, saído, amado, abraçado, segurado, telefonado, procurado...



A vida é mesmo uma coisa maluca, e se nós parássemos pra contar o quanto usamos esse tipo de frase aí de cima tenho certeza de que nos surpreenderíamos tremendamente. Acho uma bobagem enorme quando escuto aquele velho chavão de "só me arrependo daquilo que não fiz". No mínimo a pessoa não se percebe e não se conhece ou na pior das hipóteses é uma grandissíssima mentirosa.



Eu me arrependo. Não vejo mal nisso apesar de não gostar do sentimento. O arrependimento é decorrência de uma escolha que fizemos, que não nos satisfaz inteiramente. E nós fazemos escolhas o tempo inteiro. Não acho nenhum crime confessar arrependimento. Eu faria diferente em diversas situações do dia-a-dia. Como quando você escolhe usar um sapado de salto alto ao invés daquele baixinho e acaba sofrendo a festa inteira, ou quando você decide deixar o uarda chuva em casa porque o dia está bonito e a bolsa vai pesar e acaba sofrendo na volta pra casa quando a chuva arma de supetão.

Não há nada de mal não pequenos arrependimentos. O problema são os grandes, que de tão maiores viram verdadeiras lágrimas. São dores que levamos com a gente a vida inteira e que eu espero manter distância durante todos os anos da minha vida. Mas esse papo é outro, e fica pra outra vez. O importante é saber conviver com os pequenos arrependimentos e tratar de pesar sempre a melhor escolha antes de qualquer decisão diminuindo assim, as chances de multiplicá-los por aí. E saber que não importa, sempre há uma maneira de correr atrás do prejuízo...

Escolhi fazer esse post pro TDB mesmo em atraso. Foi uma das formas que encontrei de correr atrás do prejuízo rs.

Nenhum comentário: