sexta-feira, 27 de março de 2009

Tudo que há de bom

Queria que todo o resto desaparecesse, assim como se a gente pudesse encontrar um botão de desliga e acabar com tudo. Quem sabe poder se auto desligar alguns instantes, já pensou? Acho que tudo seria tão mais fácil...

Mas aí despretensioso e com aquele olhar descontraído, a pele branca contrastando com os óculos escuros ele entra na sala e ela sente o coração dar aquela leva descompassada. Nada muito nítido, só uma desviada de olhar, coisa simples. Existem vantagens em não se auto-desligar de vez em quando.

Existe alguma coisa entre os dois, ele percebe em seu sorriso que não vai tudo bem dentro daquele coração. Tira os óculos, olha pra ela e faz sinal com as mãos para que ela se sente perto dele. Por que ele não vem? Não, não, ele sempre vai, agora é a vez dela. E faz aquela cara difícil de resistir. Lá vai ela, lá vai ela.Engraçado se sentir assim completa! Há quatro passos para trás estava tão infeliz! Por que ali do lado dele tudo parecia tão certo, porque tudo se encaixava quando eles estavam assim, perto? Até as mãos que ele delicadamente entrelaçava nas suas pareciam estar na mesma temperatura, no mesmo ritmo. E se não estavam, qual o problema?

Simplesmente completava, preenchia com força aquele vazio que se apoderou dela há tanto tempo.Sem saber o porquê ou qual, não conseguia e não queria se livrar daquele sentimento.
Ps: Meninas, muito obrigada pelos selinhos. Estou na correria, assim que puder eu posto! Selinhos são muito carinhosos! Obrigada de CORAÇÃO!

Nenhum comentário: