quinta-feira, 16 de outubro de 2008

Desculpar, Perdoar, Esquecer

"Assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido"

"Perdôo mas não esqueço". Tem coisa mais contraditória do que isso? As pessoas hoje em dia não atribuem o devido valor às palavras e vivem espalhando por aí essa idéia de que perdoar nada tem a ver com esquecer. O verdadeiro perdão é aquele que não só passa por cima, mas evapora toda a mágoa e o ressentimento que determinado fato causara. E isso não é tarefa fácil.

Acho que uma das coisas mais difíceis de fazer é sumir com sentimento, que apesar de não depender exclusivamente de nós, exige nosso empenho. Crescemos debaixo dos mandamentos cristãos onde perdoar é divino e para alcançar essa divindade mentimos, "deixamos pra trás" e perdão verdadeiro não é assim, isso é desculpar. Quando "deixamos para trás", quando "passamos por cima" estamos deixando lá, é só virar pra trás, é só olhar pra baixo que o sentimento de mágoa está lá, dispara o alerta de que essa pessoa te machucou por este ou outro acontecimento. É por isso mesmo, que poucas pessoas realmente perdoam.

Sou uma pessoa que esquece fácil as mágoas que as pessoas causaram em mim. Já apanhei muito por dar segundas chances para as pessoas e esquecer realmente o que elas já me aprontaram. Muitas vezes as pessoas não são dignas de perdão, e nem os desejam e cabe à nós distribuí-los porque o benefício maior é nosso. É uma sensação de leveza incrível quando eliminamos a raiva, a mágoa, o ressentimento. Perdoar pode ser difícil, e depende da nossa vontade da nossa disposição torná-lo uma prática natural. Quem perdoa esquece, e isso é o que a gente não pode esquecer.

Nenhum comentário: