quarta-feira, 9 de julho de 2008

A lei não seca, mas barra

Começa assim. Mais ou menos aos 15 anos surge o interesse e a gente começa a se deparar com "aquelequeseacha- oadultodaturma" que começa bebendo e fumando e acha lindo e quer provar essa beleza pra galera. É mais ou menos nessa idade que a gente aprende a inalar fumaça e a beber água com gosto de podre. Não entrei nessa fase.

Meus amigos desde os 16 começaram com aquela historinha do: "você tem que aprender a beber" e eu sempre respondia a mesma coisa : "quem foi que disse? Tá nos 10 mandamentos?". Nunca cedi, e hoje aos 18 anos continuo intacta. Não julgo aqueles que bebem e fumam, mas tenho orgulho de dizer que não embarquei nessas jogadas. Sou boba por natureza e não preciso beber pra ficar alegrinha. Pra mim tá ótimo assim.

Não existe essa de dizer que cada um tem o seu limite. Depois que você bebeu a quarta latinha de cerveja, você já não tem o discernimento necessário para julgar qual o seu nível alcóolico. E nem me venha rebater a informação - é comprovado cientificamente.

Sou super a favor da Lei Seca porque ela força algumas medidas que deveriam ser tomadas mesmo se ela não existisse - aquele tal rodízio do hoje eu bebo e você não, fica com a chave do meu carro, quem é que não bebe hoje? E o mais importante disso é que ela salva vidas - não só as das pessoas que foram pra um barzinho como a daquela família que está voltando de viagem tarde da noite. A Lei Seca não vai diminuir o consumo, mas estabele alguns limites que só o bolso sente e oferece. Tem tudo pra dar certo.

- Juro que posto um combo de selinhos no proximo post! juro mesmo!

Nenhum comentário: