quarta-feira, 18 de junho de 2008

Just like a tattoo



Jordin Sparks canta na música que lhe deu fama o refrão : You're still a part of everything I do/ You're on my heart just like a tattoo /Just like a tattoo/ I'll always have you (I'll always have you). E isso ilustra bem a "função" e a "consequência" de alguém que tatua o nome do grande amor. Como uma tatuagem, as pessoas esperam que o amor dure para sempre, e como um grande amor a tatuagem vai sempre fazer parte de tudo aquilo que viermos a fazer. É ilustração do amor que sentimos. Eu particularmente, nunca faria. Acho uma grandisssíssima perda de tempo - e de dinheiro.

Todos os famosos que fizeram até hoje, que eu saiba se arrependeram - Kelly Key, Deborah Secco, Viviane Araújo e uma outra aqui que não me lembro o nome, mas que tatuou o "B" do Bruno Gagliasso após somente alguns meses de namoro. Existem tantas outras formas de mostrar o amor da gente tão mais originais - devíamos poupar nosso corpo.

Sou muito a favor de tatuagem, até estou amadurecendo a idéia de fazer uma, mas daí tatuar o nome de alguém? Morreria de medo se qualquer namorado fizesse aquilo por mim - acho que seria uma tentativa de prisão do tipo "Olha o que fiz por você, pense duas vezes antes de terminar comigo".

E como dizia Renato Russo, eternizada na voz de Cássia Eller - "o pra sempre, sempre acaba". Não sou pessimista à esse ponto, mas acho mais seguro prevenir do que remediar. E se quiser demonstrar amor componha uma música, manda fazer um outdoor, manda carta todo dia e dê presentes com alguma frequência. Você pode até gastar um dinheirinho, mas pelo menos não se arrependerá.

Nenhum comentário: