terça-feira, 13 de maio de 2008

Eu aceito!


O sonho da minha vida é ser bem sucedida. E quando digo que quero ser bem sucedida, é em tudo : financeiramente, profissionalmente e amorosamente falando.

Eu sou daquelas que ama o amor, e que mesmo batendo a cabeça e vendo trilhares de casamentos se desfazendo, ainda sonha e espera o momento dele acontecer consigo. Cresci em uma época onde casamento não é prioriadade e sim opção e pelo menos por enquanto ainda opto e confio nele. Quero todo aquele romantismo de vestido branco e caminho com rosas, daminha de honra,buquê, madrinhas, padrinhos e festa de arromba. Tenho consciência de que casamento não é conto de fadas, muito pelo contrário, mas estou disposta à enfrentá-los.

Tem um monte de mulher que diz não querer casar na Igreja, ou no papel, que quer só juntar os trapos, morar na mesma casa sem balbúrdia, e elas são tão fáceis de encontrar quanto mulheres como eu, que querem festança e gritar pro mundo : CASEI. A única diferença está no começo - enquanto umas são mais extravagantes outras são mais intimistas e querem guardar a felicidade só pra si. A verdade, é que a prática é absolutamente a mesma, está no dicionário : casar = aliar(se), unir(se). Ou seja, tendo festa na Igreja ou não, eles vão se casar, e querendo ou não, acreditam em uma união.

Difícil mesmo é encontrar quem não queira nenhum dos dois, e deseje passar a vida sozinho. Não julgo essas exceções, cada um faz o que quer, mas pra mim, a alma da gente pede por uma companhia além da nossa, e vive em uma constante - e as vezes secreta - busca pela alma gêmea. Comigo não é assim, quero um casamento como eu, todo transparente, alto e declarado. Estou no aguardo...

Nenhum comentário: