terça-feira, 29 de abril de 2008

Sonho Meu

Não, não era possível! Depois de anos separados, de milhares de e-mails encaminhados sem resposta e mais de centenas de tentativas frustradas de retomar o fim da relação, lá estava ela de novo, com os mesmos medos, com o mesmo friozinho na barriga e o mesmo sorriso amarelo e olhos brilhantes saltados nele. Não, não era possível, ela devia ter algum problema psicológico, alguma queda por sadomasoquismo.

Mas ele estava ali, olhando pra ela de relance, de quanto em pouco cruzavam olhares, não podia estar sonhando, era tudo verdade. De vez em quando ele coçava a cabeça, e guardava as mãos no bolso como sempre fazia quando se sentia acuado ou desconfortável de algum jeito. O que ELE estava fazendo ali? De onde ele conhecia essas pessoas? Por que Deus continuava colocando ele à sua frente, quando ela não se esforçava pra que isso acontecesse?
Seu coração batia descompassado, melhor sair dali. Em qualquer minuto era capaz de perder algum membro do corpo. É, o banheiro feminino é uma boa pedida, lá ninguém me encontra, ela se trancaria em si. Mas não iria chorar, não, desta vez não. Era só lembrar de todo o mal, de todas as vezes que chorou. Tantos sonhos destruídos, meu Deus, tanta coisa deixada pra trás. Que fantasma era esse que não a deixava em paz? Quando ela ia poder criar planos e sonhos com outra pessoa? Aonde estava aquele maldito banheiro que não chegava?

_ Olha pra mim.

Era uma mão no seu ombro puxando-a pra ele. Era ele! Era ele! O que ele estava falando, porque ela não conseguia escutar? Como era o nome desse perfume, tantos anos se passaram e ele ainda usava o mesmo? E aquela boca, o que ela fazia, o que ela falava, parecia pedir pra sua boca se aproximar...

_ (...) eu não consegui fazer mais nada, tentei outras mulheres, muitas delas, mas é só você, você sempre soube é só você. Eu posso ser um louco de dizer isso anos distante, mas nem todos esses anos e toda essa distância te apagou, eu te amo, eu te amo.
Quanto tempo ela esperou por ouvir isso?
_ Você também está chorando?

Nenhum comentário: