sábado, 1 de março de 2008

A História não o absolverá!


Nessa semana, quando escutei dizerem que Fidel tinha renunciado quase ri. Achei que fosse mais uma piadinha comum, nada excepcional. Aí vi que o negócio era sério. Aquele cara que governava aquele país desde muito antes do meu nascimento estava saindo do poder, por sua própria vontade. Aquele mesmo, que me acostumei a ver com o uniforme verde musgo sempre, deixava um marco na historia : pela primeira vez um ditador renunciava ao poder.

No começo não sabia se apoiava, se pulava de alegria, se chorava. Eu não sabia muita coisa a respeito, mas resolvi procurar.
Em primeiríssimo lugar percebi que esse foi um ótimo golpe de Estado. Fidel vai continuar no comando das rédeas do país, só que na moita.

Depois eu pude perceber e agradecer por viver num mundo capitalista. Podem falar o que quiser de mim, que sou capitalista e que apoio as desigualdades sociais e etc e tal. Eu sei que eu não apoio, claro que se eu pudesse iria optar por uma sociedade unitária, mas pra mim Cuba não é nem de longe simbolo de desprendimento ou igualdade social. Ninguém naquele país é (aparentemente )feliz.

Pra comprar, comer, andar, sair do país, viajar é necessário pedir autorização, ou melhor, prestar contas ao governo, e isso pra mim passa milhares de quilômetros distante do que considero liberdade. Tem locais em Cuba, onde estrangeiro entra e nativo não. Que tipo é esse de nação?

Claro que eu curto uma democracia, ainda faço parte de um time de sonhadores que acredita que o mundo vai ser igual, mas lutar por democracia é uma coisa muito diferente do que Fidel colocou no palanque. Muito diferente de todas as propostas comunistas que de tão mirabolantes... faliram. Talvez o capitalismo não seja a melhor solução - pensando bem, com certeza não - mas o Comunismo já provou ser ainda pior e é só estudar em livros de História pra perceber. Não considero todas as pessoas do Brasil livres, mas tenho a mais absoluta certeza de que são mais livres que os cubanos. Sou adepta da felicidade de cada um e com certeza não vivemos em um mar de rosas - é só andar na rua pra ver gente dormindo em calçada, pedindo esmola em farol - mas nosso mar é muito mais perfumado do que aquele rio sujo e podre em que Cuba se transformou, de onde milhares de refugiados sumiram em busca de um futuro melhor.

Eu sou a favor da democracia, e acho que vou lutar por ela durante muitos anos ainda. Mas não venham me dizer que democracia é sinônimo de Cuba. Cuba pra mim é atraso, é tristeza, solidão - são sempre essas as imagens que me chegam a visão, principalmente depois de pesquisar sobre o assunto.
Graças a Dios Cubanos, vocês deram um pequeno passo à frente da verdadeira liberdade.

--* Para TdB

Nenhum comentário: